Os Banhos Públicos na Roma Antiga | Minas Banheiras
35 99201-5577
35 99879-3877
35 3423-0918
35 4102-1589

Os Banhos Públicos na Roma Antiga


Termas (do latim Thermae), era o termo que designava os locais onde eram tomados os Banhos Públicos na Antiga Roma. Os banhos públicos não eram nada chocantes para os civis, muito menos algo considerado obsceno. Na cultura daquela época, os banhos públicos eram considerados algo absolutamente comum.

A prática dos banhos públicos foi iniciada pelos Caldeus, os gregos também frequentavam as Termas, mas foram os romanos que introduziram os banhos públicos e os popularizaram no mundo ocidental.

A Favorita Custom. Sir Lawrence Alma-Tadema, 1909.

A Favorita Custom. Sir Lawrence Alma-Tadema, 1909.

Durante o período do império (27 a.C –  476 d.C) os banhos públicos se tornaram parte do cotidiano do povo romano. Eles estavam presentes na maioria das cidades e em todas as províncias romanas, sendo frequentadas por pessoas de diferentes classes sociais (exceto escravos, que iam apenas com seus senhores), a população mais pobre frequentava termas apertadas e mal construídas, já os patrícios, frequentavam termas que pareciam verdadeiros monumentos. As termas eram frequentadas por ambos os sexos. Alguns dos romanos mais ricos construíam seus próprios Balneum em casa.

Os Thermaes possuíam três entradas: uma para os homens, uma para as mulheres e outra para os escravos. Os homens ricos levavam sempre um escravo para atender as suas necessidades em todo o processo de banhos. As Termas republicanas possuíam espaços separados para homens e mulheres. Durante o primeiro século depois de Cristo, era comum homens e mulheres partilharem o mesmo espaço durante os banhos, mas, após a chegada do Imperador Adriano, a separação entre os sexos masculino e feminino foi restabelecida.

Para os romanos, o ato de frequentar as Termas poderia ser comparado ao nosso “ir á praia” de hoje em dia. Eles iam não apenas para se banhar, mas para além disso, socializar, conhecer novas pessoas, praticar esportes, conversar, negociar, ou apenas passar o tempo.

Depois da construção dos aquedutos, a água começou a ser utilizada não só para abastecer casas e indústrias, mas também para o lazer dos cidadãos romanos, isso possibilitou a construção de diversas Termas em vários pontos onde antigamente se localizava o Império Romano.

Existiam também os banhos privados, que poderiam ser usufruídos mediante ao pagamento de uma taxa de baixo valor. Mas ao contrário do que se pensa, os banhos públicos ofereciam mais luxo do que os privados.

Algumas das Termas romanas eram tão grandes que chegavam a parecer palácios. Dentre os luxos oferecidos pelos banhos públicos estavam bibliotecas, espaços para a prática de esportes, calçadas e piscinas.

Representação artística dos diferentes ambientes de um Thermae.

Representação ilustrativa dos diferentes ambientes de um Thermae.

As Termas possuíam diferentes câmaras:

Apodyterium  Vestiário, local onde eram trocadas e guardadas as roupas.

Frigidarium  Ambiente com tanques de água fria.

Tepidarium  Local onde as pessoas descansavam e recebiam massagens.

Caldarium  Camâra para banhos quentes em piscinas ou tanques. Geralmente bem equipada e iluminada. As Termas maiores continham piscinas que permitiam aos banhistas a prática da natação.

Sudatorium  Câmara com vapores, semelhante a uma sauna (sala de transpiração).

Palaestra – Pátio para a prática de esportes e exercícios físicos.

Tabernae – Lojas adjacentes ás câmaras de banho onde eram vendidos bebidas e alimentos.

Laconicum – Local seco.

Pompeianas no Frigidarium - Pedro Weingarner, 1897.

Pompeianas no Frigidarium – Pedro Weingarner, 1897.

Ao chegarem no Thermae, os banhistas se despiam e deixavam suas roupas no Apodyterium. Em seguida, eles se dirigiam ao Frigidarium, uma câmara onde ficavam tanques de água fria. Depois disso, seguiam para o Tepidarium, e finalmente, se dirigiam a um banho quente no Caldarium. Feito isso, o banhista retornava ao Tepidarium para receber massagens feitas com óleos perfumados.

In the Tepidarium, pintura de Alma-Tadema, 1881.

In the Tepidarium, pintura de Alma-Tadema, 1881.


Share this post
  , , , , , , , ,


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *